Porto Seguro uma das cidades que mais vende pacotes com seguro Covid no Brasil

Porto Seguro uma das cidades que mais vende pacotes com seguro Covid no Brasil

11/10/2021

11/10/2021

A cidade de Porto Seguro é uma das cidades que mais vende pacotes com seguro Covid do Brasil. Conforme levantamento da CVC, o município é o terceiro destino nacional mais buscado com o serviço, abaixo apenas de Natal e Maceió.

Mas o que é o seguro Covid?

Texto adaptado do jornal CORREIO:

Com a desaceleração da pandemia, muitos já começaram a planejar suas viagens de férias. A tendência levou o Grupo CVC Corp no Brasil – composto pelas companhias CVC, Submarino Viagens, Visual Turismo, Experimento Intercâmbio Cultural e as consolidadoras RexturAdvance, Esferatur e Trend –  a ofertar um seguro viagem com cobertura para Covid-19. 

No pacote, o contrato cobre despesas médicas e hospitalares por covid-19 diagnosticado durante a viagem, indenização por hospitalização devido ao diagnóstico da doença e translado de corpo em caso de morte por coronavírus também durante viagem. 

Desde que foi lançado, há quase um ano, o produto representa 50% de todas as vendas de seguro viagem da CVC e está no quinto mês consecutivo de crescimento de vendas de seguro viagem de uma forma geral, conforme aponta o presidente da CVC Corp, Leonel Andrade.

“Observamos que, nos meses de pico de casos de covid, entre março e maio desse ano, foi justamente quando o produto que inclui cobertura para covid-19 teve a sua maior representatividade em relação ao seguro sem esse benefício. Os nossos clientes querem viajar, mas ainda têm alguns receios e dúvidas por conta da pandemia, por isso a importância de oferecer  um produto específico com cobertura para o coronavírus”, pontua o executivo. 

O preço por essa proteção custa a partir de R$ 15 (viagens nacionais) ou US$ 6 (viagens internacionais) por dia para coberturas de despesas médicas de R$ 28 mil (território nacional) ou até US$ 30 mil (viagens no exterior). O seguro viagem com o benefício pode ser contratado com até 180 dias de antecedência do embarque.  

“A retomada do turismo já está em andamento, de forma gradativa, principalmente impulsionada pelas viagens de lazer em destinos domésticos. Acredito que vão faltar aviões e hotéis no final do ano, para a nossa temporada de verão, devido a um crescimento exponencial do número de viagens nacionais puxado pelo avanço da vacinação”, disse Andrade.

Fronteiras 

A reabertura de fronteiras de alguns países, dentre eles destinos importantes como a Argentina, que voltou a receber brasileiros em outubro,  e os Estados Unidos, a partir de novembro, chegou a aumentar em até até dez vezes a venda de pacotes de viagens. “Existe uma demanda reprimida tão grande para viagens ao exterior que o crescimento das vendas é imediato após o anúncio da liberação”, diz Leonel Andrade. 

Os destinos que mais vendem o seguro com cobertura para Covid coincidem com os mais vendidos, em geral. Entre os nacionais estão Natal, Maceió, Porto Seguro, Porto de Galinhas e Gramado.  Já entre os internacionais estão Cancun, Punta Cana, Dubai, Lisboa e Paris.

“Outra alternativa que o setor vem apostando está na oferta de pacotes para megaeventos e produtos temáticos como, por exemplo, a Expo Dubai, em outubro, a Fórmula-1, o cruzeiro da Xuxa e o Rock in Rio, além da Copa do Mundo do Catar em 2022. A pandemia segue exigindo que as empresas de turismo continuem com adaptações em seus negócios, orientando-se cada vez para a segurança do viajante”, afirma  presidente da CVC Corp, Leonel Andrade.

Para a vice-presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav), Ana Carolina Medeiros, os passageiros estão mais atentos a destinos com menos casos  casos de contaminação pelo coronavírus, com um aumento da procura por locais com opções de ambientes abertos, ao ar livre e com protocolos rígidos de segurança sanitária, como os grandes resorts.

“A gente verifica que o consumidor ainda não está totalmente seguro e segue com muita cautela, porém já começa a retomar suas viagens. Apesar de não termos ainda números consolidados, o movimento de remarcações é crescente, o que demonstra essa vontade de voltar a viajar”, afirma.

Ofertas de pacotes que permitam uma adaptação ao home office – incluindo aqui, uma hospedagem com uma ótima conexão de internet e lazer para toda família – é mais um desses novos serviços que as agências têm apostado, como completa Carolina: “Ou seja, lugares onde esse cliente possa trabalhar sem ter problemas em conectar seu notebook e que, ao mesmo tempo, tragam opções ao ar livre e de diversão”. 

Cuidados 

Os riscos de contaminação, mesmo que o passageiro esteja vacinado, ainda existem. O médico, pesquisador e especialista em imunologia humana, Bruno Bezerril alerta: “A vacina é muito importante, porém, nenhuma delas protege em 100% dos casos. A pessoa vacinada tem um risco menor de desenvolver uma doença, mas o risco, permanece. Por isso, é fundamental manter todos os cuidados sanitários que a gente conhece: uso máscaras, higienização das mãos, distanciamento social e evitar aglomerações”.  

Perguntas e respostas sobre a hora de viajar

. Pode levar álcool em gel na bagagem de mão? 
Sim. Porém, a Agência Nacional de Aviação (Anac) limitou a quantidade de 500 ml por artigo nos voos domésticos. O mesmo vale para o álcool líquido.  

. E nos voos internacionais?  
Para voos internacionais, o álcool em gel deve ser levado em frascos transparentes com capacidade de até 100 ml cada.  

. Sobre o uso de máscaras 
Ainda de acordo com as orientações da Anac, é permitido o uso de máscaras cirúrgicas, profissionais do tipo N95, PFF2, FFP2 e as caseiras, confeccionadas em tecidos como algodão e tricoline, desde que possuam mais de uma camada de proteção e ajuste adequado ao rosto cobrindo o nariz e a boca, sem aberturas. Fica proibido o uso de bandanas, lenços e protetores faciais do tipo ‘face shield’ usados sem máscara por baixo. 

. Que destinos já estão exigindo o passaporte vacina?  
A partir deste mês, capitais como São Paulo passaram a exigir comprovante de vacinação contra a Covid-19 com pelo menos uma dose para a entrada em todos os grandes eventos, inclusive, em estádios de futebol. Em Fernando de Noronha, em Pernambuco, a administração do local já passou a exigir a comprovação para a entrada de visitantes no arquipélago. Fora do Brasil, países como França, Itália, China e Israel estão entre os que só permitem a entrada em restaurantes, bares, museus e até mesmo transportes públicos com a comprovação de que foram vacinados.

 

 

 

Por:Jequitinhonhanews.com/Fontes: CORREIO e CVC Viagens Relacionadas

Comente nossa matéria usando o Facebook
AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.