Rui Costa teme "tragédia maior que março" após o São João na Bahia

Rui Costa teme "tragédia maior que março" após o São João na Bahia

10/06/2021

10/06/2021

O governador Rui Costa (PT) disse temer que os índices de contaminação e óbitos pela Covid-19 subam após o período de São João na Bahia. Segundo o gestor estadual, existe o risco de o mês de julho registrar índices superiores aos de março, pior mês da pandemia até então. Ele concedeu entrevista coletiva em uma inauguração de policlínica em Eunápolis, no sul da Bahia, nesta quinta-feira (10).

"Estamos muito preocupados. Em fevereiro, tínhamos oito mil contaminados ativos. Em março, evoluímos para o pior mês desde o início da pandemia e chegamos a 20 mil contaminados. Se em julho do ano passado tinha sido o pior mês de óbitos, com dois mil óbitos, em março chegamos a três mil. Abril passou de dois mil e maio vai passar de dois mil", declarou.

Rui pediu a ajuda da imprensa para que faça um trabalho de conscientização para que a população tome consciência durante o período de festas juninas e evite aglomerações.

"Se as festas de São João, São Pedro e Santo Antônio provocarem uma nova avalanche de casos, nós não temos mais 40% dos leitos vazios para recepcionar. Só temos 15%. O receio é que os primeiros dias de julho tragam uma tragédia ainda pior do que foi o mês de março. Se não conseguirmos regular os pacientes em até 24h, está mais do que comprovado que a taxa de mortalidade aumenta", ressaltou.

O chefe do Executivo estadual voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro, sobretudo por causa do atraso na compra de vacinas. "Já poderíamos estar neste mês de junho com essa policlínica entupida de gente comemorando a inauguração se o presidente tivesse comprado, em setembro, as 70 milhões de doses da vacina da Pfizer. Mas o presidente resolveu brincar com a vida das pessoas", atacou.

 

 

Por:Jequitinhonhanews.com/Bnews

Comente nossa matéria usando o Facebook
AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.